Cruzeiro x Palmeiras

Em 13/10/2016 14:28

Cruzeiro x Palmeiras

Cruzeiro x Palmeiras

 

            Cruzeiro e Palmeiras são, sem dúvidas alguma, dois dos gigantes do futebol brasileiro. Se somarmos os títulos desses dois clubes teremos: 12 Campeonatos Brasileiros; 7 Copas do Brasil; e 3 Libertadores. Os confrontos entre ambos sempre propiciam às torcidas grande emoções. Na década de 90 era sem dúvida alguma um dos maiores clássicos, tanto que foram inúmeros jogos decisivos, emocionantes e inesquecíveis. Quem não se lembra da final da Copa do Brasil de 1996? Ou da heróica classificação celestes nas quartas-de-final do Brasileiro de 1998?

            No total foram 81 partidas oficias por diversos torneios: Campeonato Brasileiro; Copa do Brasil; Taça Libertadores; Copa Mercosul; e Copa dos Campeões. O número de vitórias (29) para cada um dos clubes mostra o equilíbrio desse embate, além dos 23 empates. O Time do Povo marcou 111 gols e sofreu 105.

            Pelo Campeonato Brasileiro foram 57 jogos com  vantagem do Cruzeiro, 22 vitórias, 18 derrotas e 17 empates. O Gigante Incontestado estufou as redes por 78 vezes e sofreu 75.

           

 

Jogo em Destaque

 

            No Campeonato Brasileiro de 98 o Cruzeiro teve uma recuperação incrível na primeira fase da competição e conseguiu uma das vagas nas quartas-de-final, se classificando em sétimo. O adversário nessa fase seria o Palmeiras (que se classificou em segundo), com quem o Cruzeiro travava verdadeiros duelos titânicos naquela época.  No mesmo ano o Palmeiras já havia vencido o Cruzeiro na final da Copa do Brasil.

            Na primeira partida, no Mineirão lotado, o Time do Povo venceu por 2x1. Na segunda partida o Palmeiras devolveu o placar. O regulamento daquela competição previa a realização do terceiro jogo, porém o Palmeiras tinha a vantagem do empate e jogava em Casa.

            O Parque Antártica estava lotado para o jogo decisivo. O único placar que interessava ao Cruzeiro era a vitória. Já nos vestiários os Celestes sofreram um verdadeiro baque: Dida se contundiu, o gol seria defendido pelo reserva Paulo César Borges.

            O jogo estava equilibrado duranta os primeiros trinta minutos até que o nosso grande matador entrou em ação: Marcelo Ramos. Aos 32 minutos ele recebu belo passe e e frente para o gol não perdoou o goleiro, 1x0. Apenas 2 mintuos depois ele recebeu um cruzamento rasteiro e estufou as redes fazendo 2x0. Era inacreditável, em 2 minutos o Cruzeiro conseguiu o placar que precisava.

            O segundo tempo as coisas foram diferentes. Os Alviverdes foram para o tudo ou nada e logo aos 3 mintuos conseguiram o empate. Júnior cruzou da esquerda e Almir de cabeça diminuiu o placar, 2x1. A pressão dos paulistas continuou até que aos 20 mintuos Paulo Nunes empatou o jogo, era o placar que o Palmeiras precisava. Para piorar a situação um jogador do Palmeiras recebeu a bola e ia em direção ao gol, praticamente só ele e o goleiro, aí Valdo teve como única solução dar um carrinho por trás do jogador e derrubá-lo, cometendo assim a falta e sendo expulso. Apesar de ter salvo o terceiro gol palmeirense ele saiu de campo aos prantos.

            O Palmeiras contralava bem a partida e sua torcida fazia muito barulho, porém nunca e pode subestimar o Cruzeiro. Quando faltavam apenas dois minutos para o fim do jogo, Muller recebeu uma bola dentro da grnde área e rolou para a pequena área, mesmo com forte marcação ele conseguiu tocar para o fundo das redes fazendo 3x2 e novamente colocando o Cruzeiro no caminho da classificação. Isso tudo com um jogador a menos.

            Mas quem pessou que as emoções paravam por aí se enganou. Na base do desespero o Palmeiras foi com tudo para tentar o empate novamente. Num dos últimos lances Paulo César fez uma defesa milagrosa com os pés e o rebote sobrou para Cléber, o zagueiro. Com o gol praticamente escancarado ele fez o que era o se melhor, isolou a bola para a linha de fundo. A classificação estava garantida.

            Houve uma festa tremenda dos jogadores em campo e dos torcedores em BH. Mesmo com um jogador a menos o Cruzeiro derrubava o todo poderoso Palmeiras e se classifcava para as semi-finais. Uma curiosidade: com essa classificação o Cruzeiro impediu que as semi-finais fossem um quadrangular paulista, pois Corinthians, Santos e Portuguesa já haviam se classificado, sendo o Mineiro intruso no meio dos paulistas.

           

  

 

Ficha Técnica

 

Palmeiras 2x3 Cruzeiro

 

26/11/1998 – Jogo válido pelas quartas-de-final do  Campeonato Brasileiro 1998

Parque Antártica (São Paulo - SP)

Público: 28.317

Árbitro: Cláudio Cerdeira - RJ

Assistentes: Aristeu Tavares e Hilton Moutinho.

 

Palmeiras: Veloso; Arce, Agnaldo, Cléber, Júnior; Rogério, Galeano (Roque Júnior), Zinho, Alex (Almir); Paulo Nunes (Tiago), Oséas. Técnico: Felipão.

 

Cruzeiro: Paulo César; Gustavo (Ronaldo), Marcelo Djean, Gottardo, Gilberto; Marcos Paulo (Caio), Djair, Valdo, Muller; Marcelo Ramos (Alex Alves), Fábio Júnior. Técnico: Levir Culpi.



Mais estatísticas