Que fique de lição

Derrota para o Alt Mineiro deve servir de lição para Mano Menezes e seu time

Em 02/04/2018 10:00

Que fique de lição

Uma derrota dói, em clássico dói ainda mais, mas é nestes momentos que deve-se sentar, analisar e buscar melhorar para os próximos jogos. O Cruzeiro foi mal durante todo o primeiro tempo ontem, excessivamente passivo, mas ainda sem sofrer grandes sustos e vez ou outra chegando ao ataque com algum mínimo perigo. O desastre iniciou-se já na reta final do primeiro tempo, mais precisamente após o tempo técnico pedido pelo próprio Mano Menezes, esperaa que naquela parada o treinador arrumaria o time para entrar mais no jogo, mas o que aconteceu foi o contrário, os jogadores simplesmente não voltaram à campo e rapidamente sairam três gols.

Mano viu mais uma vez que o time tem sérios problemas na bola parada defensiva. Dos 10 gols sofridos pelo Cruzeiro no ano, mais da metade foram desta forma. A prova de que Mano notou tal problema é sua entrevista coletiva pós-clássico onde foi enfático em tirar a culpa de Léo e chamá-la para si mesmo.

Tirar Léo do time agora seria se queimar com o jogador e até com o resto do elenco, mas Mano tem que ter na cabeça que a entrada de Dedé no time titular terá que acontecer, mesmo que de forma lenta. As mudanças que devem ser mais imediatas são pelo flanco esquerdo. A atuação de Egídio foi pavorosa, tudo certo que seu reserva Marcelo Hermes também não é nenhuma unânimidade, mas algo deve ser feito com a nossa lateral, nem que seja uma conversa particular com o camisa 6 para que ele jogue mais simples, não há necessidade de tentar um drible sempre que pegar na bola.

Arrascaeta porém merece um paragrafo inteiro para si. O uruguaio destoa de seus companheiros, ele é muito técnico, para mim é o jogador com maior capacidade criativa no atual elenco, ele pode não voltar para marcar como Rafinha, mas o que ele oferece ofensivamente seja na condução ofensiva, na criação ou na finalização é muito superior à Rafinha, Robinho ou qualquer outro do time, até mesmo à Thiago Neves. Se ele não marca como os ponteiros que iniciaram a partida ontem deve-se mudar o esquema, prender mais um lateral, um volante, alguma coisa, mas ficar com o melhor jogador do time no banco não da mais.

Nossa torcida não é muito acostumada a derrota, por isso a cada tropeço aparece muitos por aí tratando como se fosse uma crise, normal, porém não é bem assim. O trabalho continua sendo bom e por isso diretoria celeste e meios de comunicação que têm voz ativa como este deve optar mais pelo racional do que pelo emocional na hora de analisar isto. Mesmo assim derrotas como está no clássico de ontem ou para o Racing devem sempre servir como lição para que os mesmos erros não voltem a ser cometidos. O gol no final do jogo deixou a final em aberto, um vitória por dois gols de diferença será o suficiente para erguer a taça dentro de nossa casa, antes disto porém temos um duelo importante contra o Vasco pela Libertadores, onde a vitória é quase uma obrigação.

Por: Paulo Mota e Infozeiro



Últimas Notícias