A ressaca continua

Cruzeiro empata contra o Avaí. Time volta a marcar depois de nove jogos

Em 11/08/2019 18:15

A ressaca continua

O Cruzeiro mostrou mais vontade. Contudo, não foi suficiente, ainda, para vencer. Exausto, Dedé foi o retrato do time, que mesmo desorganizado buscou jogadas, ainda que numa forma "bumba meu boi". Dedé, depois dos 40min e atrás no placar, virou centroavante. E ainda que o VAR tenha demorado quase 6min para definir que o gol de Sassá foi válido, ao menos dessa vez a arbitragem tumultuada do soprador de apito foi correta. Aliás, o senhor árbitro foi muito mal, confuso, apareceu demais no jogo e quis ser o centro das atenções, prejudicando o jogo.

Em campo, o Cruzeiro entrou com erro de formação. Ariel e Henrique no meio é algo que Rogério Ceni terá que tirar com urgência. Edilson e Egídio, destemperados, foram problemas em campo. Se Egídio falhou nos dois gols do Avaí, Edílson conseguiu ser expulso por reclamação. Leo, nervoso, parecia um zagueiro de pelada. Ali atrás, só Fábio e Dedé foram vem. Ariel, graças a Deus, saiu em tempo de não fazer besteira e o Cruzeiro sofreu no último passe. Marquinhos Gabriel jogou torto pela direita, mas foi dele o lance que resultou no empate celeste. Após chute, Vladimir defendeu e a bola voltou nos pés de Pedro Rocha, que empatou. O Avaí havia marcado no primeiro tempo. 

Já após dos 35min, a arbitragem marcou pênalti de Egídio, convertido e que acabou deixando o Cruzeiro ainda mais desorientado. Se já não havia tática, pelo menos dessa vez viu-se raça. Dedé se deicou bastante e os jogadores de frente buscaram o empate a todo o custo. E foi no coração: David fez boa jogada e achou Sassá, que empatou a partida. O lance demorou a ser validado, o que mostra que o VAR no Brasil ainda é uma porcaria. Ainda mais que teve um pênalti em Dedé não assinalado. 

Por fim, os times se lançaram ao ataque, mas nenhum conseguiu sair vencedor. O Cruzeiro continua sem vencer, mas mostra que mesmo desorganizado o freio de mão parece ter ´parado de ser puxado. O desafio de Rogério Ceni vai ser fazer esse time dar liga, ainda que com a chegada de reforços. O time precisa de tática, confiança e poder de fogo. Diante do Avaí mostrou melhora, mas o adversário também não é lá essas coisas, haja vista ser o único que não venceu ainda no campeonato. Na Ressacada, a ressaca de vitórias se manteve, mas a atitude parece ter sido, ainda que levemente, alterada. Chega logo, Ceni! O jogo deste domingo marca a volta do Cruzeiro aos gols. Que os próximos voltem o clube às vitórias!

Por: João Vitor Viana



Últimas Notícias