Quando o time é gigante...

A realidade do futebol mineiro

Em 13/08/2019 13:58

Quando o time é gigante...

O técnico Rogério Ceni, há poucos meses, rejeitou treinar o rival aqui em Minas.

Preferiu ficar no Fortaleza e se consolidar como uma liderança e um nome importante na história do clube.

Tempos depois, recebeu a proposta de um gigante.

Do Cruzeiro.

Não pensou duas vezes.

Um time gigante, de torcida e de história não se pode negar.

Recusar o Espanyol é possível.

Recusar o Barcelona é inviável.

Rogério sempre falou que prefere ser chamado de burro por 60 mil a ser aplaudido por 2, 3 mil.

Afinal, é melhor jogar no Mineirão, num clube que tem oito milhões de torcedores.

A jogar naquele estádio do América.

É melhor guiar um time que tem tradição e taças no sangue.

A se aventurar num time, cuja história cabe numa mesa de escritório.

Bem-vindo, Rogério Ceni!

Como é bom tê-lo a favor.

Contra não tivemos tanta sorte.

Mas juntos certamente seremos mais fortes!

Por mais que a imprensa esteja puta com tudo isso.

Que ela esteja rasgando a cloaca de raiva.

Que ela esteja com aquela sensação de rejeição triplamente qualificada após o acerto do Cruzeiro com Ceni.

Mas se esta é a opção que a diretoria fez e o desafio que foi aceito por uma pessoa vencedora como jogador e, ao que parece, como treinador.

A torcida compra a ideia e vai junto com essa união.

Por: Raposo Sensato



Últimas Notícias